Como ser redator: minha trajetória até hoje na Cubo Amarelo
Home / Marketing Digital / Marketing de Conteúdo / Como ser redator: minha trajetória até hoje na Cubo Amarelo
mãos masculinas digitando no notebook. É possível identificar que ele está utilizando a ferramenta Microsoft Word.

Como ser redator: minha trajetória até hoje na Cubo Amarelo

bem provável que você tenha chegado até este texto através de uma pesquisa por “como ser redator” no Google. Isso é ótimo! É um sinal de que eu fiz o meu trabalho bem feito aqui. Mas se você espera orientações do tipo “você precisa ter criatividade e dominar a língua portuguesa”, sinto te decepcionar – tenho algo melhor que isso.

Hoje queria fazer um relato bem sincero de como eu cheguei nessa profissão, as escolhas que eu tomei e como é, de verdade, a rotina de um redator em uma agência de marketing digital.

Com sorte, você também vai se inspirar e perceber que a vida de Redator não é nenhum bicho de sete cabeças – mas ao mesmo tempo, nem tudo são flores.

Então senta que lá vem história:

Trajetória antes da publicidade

rapaz de boné utilizando uma mochila vermelha. Ele está de costas, olhando para o céu.

Não sei como andam os sonhos da geração Z, mas utilizando o clichê de “na minha época…” ninguém nem sabia ao certo o que era publicidade. Todo mundo queria ser médico, professor, veterinário, advogado que fosse. Mas publicitário nunca!

Diferente de todo mundo, eu tinha o sonho de ser rico! E foi aí que eu aprendi como ser redator? Não mesmo – escolhi engenharia. Resumindo a história, nem os cálculos e nem o ambiente de um canteiro de obras eram pra mim e acabei trancando no nono período.

Nessa época eu já tinha uma câmera (semi)profissional e fazia alguns freelas nessa área, daí migrei para a publicidade, que era o curso superior mais próximo disso que tinha na minha cidade.

E foi aí que entrou a redação na minha vida!

Se você quer saber como ser redator com uma universidade, eu indico algo como jornalismo ou letras – como foi o caso da minha parceira Tainá. Ao menos na minha faculdade, a graduação funciona como uma temporada de Shark Tank a cada período.

Mas eu fui fazer estágio em uma empresa de eventos. Lá eu encontrei a pessoa que enxergou o meu talento para escrita e, basicamente, me disse para abandonar tudo e aprender como ser redator (sinceramente, eu era péssimo com o photoshop, então achei ótimo).

A partir daí foi só sucesso (não mesmo). Nós dois saímos da empresa e fomos juntos trabalhar para uma construtora como freelancers – ela designer e eu escrevendo. Foi aí que eu aprendi a primeira lição de como ser redator freelancer: trabalhar sem contrato é garantia de levar golpe! Preste muita atenção nisso.

Só entrando na Cubo eu aprendi de verdade como ser redator.

foto de uma parede da agência de publicidade Cubo Amarelo. Ela é toda amarela, com elementos elementos como prateleiras, molduras e relógio no mesmo tom.

Depois dessa experiência eu fui em busca de novos ares – e principalmente de um emprego fixo -, e acabei chegando aqui na Cubo. A essa altura, eu juro que achava que já sabia como ser redator e, inclusive, me julgava ótimo nisso! Mas na verdade eu só escrevia. Criava textos corporativos, fazia roteiros de vídeos, utilizava vários clichês e ponto. Nada muito além.

Daí chegamos à segunda lição: nunca ache que você já domina a profissão. Isso é clichê mas é muito real. No SEO mesmo, existem várias técnicas que mudam a cada dia – muitas delas ainda nem foram descobertas.

Sobre isso, lembro bem que logo na entrevista a Natália (nossa master boss) me perguntou de forma bem clara: “você sabe como escrever utilizando SEO?”. Claro que eu disse que sim (menti) – essa é a terceira lição: um redator bom é aquele que tem argumentos fortes para convencer o seu cliente.

Ela acreditou em mim? Claro que não! Ela vive disso há anos! Mas acho que viu minha vontade em aprender e abriu as portas dessa casa amarelinha pra mim e, junto com todo esse time foi me moldando para o que sou hoje. (Valeu equipe!)

De fato, como é ser um redator:

Nesses quase dois anos, não ouso dizer que sei tudo sobre como ser redator, mas sei mais que muito coach de marketing que tem por aí. Então vão aí as minhas diquinhas sobre a profissão:

    • Gostar de escrever e ser redator é bem diferente: claro que gostar de escrever é fundamental – eu mesmo já tive até uma página no blogger com o péssimo nome de “lucidez neural” quando era modinha nos anos 2000. Se você escreve poemas ou músicas, vai levar tudo isso, mas saiba que a redação publicitária é uma pegada muito mais sobre “o que funciona para valorizar o produto/serviço” do que uma arte.

 

    • Seja camaleônico: essa é uma das partes mais legais porque você se transveste da pessoa que a sua marca representa. Você pode ser uma amiga dando conselhos de maquiagem em um dia, um especialista em marketing digital em outro… enfim. Vai precisar pensar e escrever exatamente como o meio se comunica;

 

    • Escreva textos gostosos: a gente faz texto pensando no SEO, mas não são apenas os robôs que vão ler. Pode ser um post ou um e-book de 50 páginas, escreva algo agradável. Uma dica é ler tudo em voz alta depois de escrever. Se faltar ar é porque está precisando de um ponto ou vírgula aí.

 

    • Tenha um revisor: mesmo aquela pessoa que sabe mesmo como ser redator deixa passar algum vacilo ortográfico ou de concordância. É aí que entra o papel do revisor. Se você não puder contar com um, como a gente tem aqui na Cubo, espere um tempo, tome um ar e depois revise o seu texto com um olhar mais crítico. Pode apostar que a cada leitura vai aparecer um erro novo.

 

    • Nunca deixe de aprender: leia, faça cursos, workshops e assista palestras sobre o assunto, isso vai agregar muito na sua técnica! Mas também veja os noticiários, ouça música, leia revistas, livros juvenis… enfim, esteja em movimento! Tudo isso vai servir para algum insight quando você for escrever.

De todas, a principal dica é essa de absorver conhecimento sempre. Hoje posso dizer sim que sei sim como ser redator. Mas a minha história é fruto do acaso e de pessoas incríveis, principalmente aqui dentro da Cubo Amarelo.

Seja qual for a sua história, se é isso que você quer, vai fundo que essa é uma experiência incrível! Para escrever um texto você descobre o mundo ao redor daquele assunto, e a melhor parte é que é um novo mundo a cada dia. Quando você se dá conta, sabe se comunicar com qualquer pessoa sobre qualquer assunto. Este conhecimento é libertador!

Para você já dar os primeiros passos na direção certa rumo à profissão, o que acha de saber como a gente cria os nossos conteúdos? Aqui no blog da Cubo temos a trilogia de conteúdo, três textos sobre a rotina, os resultados e o faturamento de uma boa estratégia de marketing de conteúdo.

Sem spoilers, mas lá tem até resultados milionários que conseguimos. Não deixe de conferir!

Sobre Marcos Felipe

Tem a escrita como maior forma de expressão, comunicação e arte - a arte de decifrar sentimentos. Clichês como esse e frases de para-choque de caminhão estão no seu repertório. Mas onde mais se encontrou foi associando esse talento com as técnicas de SEO e Inbound marketing. Um garoto cheio de vontade de aprender, mas também de compartilhar conhecimento. Como nesse texto que você acabou de ler.

Confira também

[Método Cubo] Como fazer revisão de texto?

Sim, eu sei que você digitou como fazer revisão de texto no Google esperando um …