O que é inbound marketing e o que tem de novo em 2022

Hoje vamos falar para você as vantagens da utilização dessa técnica que não para de crescer no mercado
Mão de empresário segurando estratégias de inbound marketing.

Sabe aquele email que você recebe regularmente de uma marca que talvez tenha feito uma compra há um tempo atrás? Ou quando você busca por um determinado assunto no Google e aparece aquele post perfeito pra te ajudar a sanar as suas dúvidas?

Então, tudo isso faz parte de uma série de estratégias do chamado Inbound Marketing, ou se você preferir pode dizer “Marketing de Atração” e até mesmo “Marketing de Entrada”.

Independente do termo que decidir usar, hoje vamos falar para você as vantagens da utilização dessa técnica que não para de crescer no mercado. Já que através do inbound não é você que vai até o cliente e sim ele que vem até você.

Sendo assim, o alto investimento na publicidade tradicional não se faz necessário, pois as estratégias de comunicação ocorrem em meios próprios como email marketing, blog e redes sociais, e são direcionadas para um público específico com mais chances de conversão.

Ficou com curiosidade para aprender mais sobre o assunto e quer saber como aplicar na sua empresa? Então vem que eu vou te mostrar o que é inbound marketing e o que tem de novo em 2022. Boa leitura!

Definição de Inbound

O Inbound Marketing consiste em uma série de estratégias para que o público chegue até você de forma espontânea, através dos seus próprios canais de comunicação.

Para isso, é necessário que sejam feitos planejamentos inteligentes com foco em produzir conteúdo de qualidade baseado nos interesses do seu público-alvo.

Ao contrário do Outbound Marketing, onde é a marca que vai até o cliente através da comunicação unilateral, feita com propagandas, anúncios pagos e outdoors, por exemplo. No Inbound, você produz um conteúdo estratégico de acordo com o que aquele público específico está procurando.

Para entender melhor como ocorre a conversão de lead no Inbound Marketing, é necessário conhecer pelo menos as quatro etapas principais do processo de operação do Inbound, que acontece como um funil mesmo. São elas:

1 – Atração: a primeira etapa é a de atrair visitantes para os canais digitais, podendo ser eles blogs, páginas e redes sociais. Por isso, a importância de criar conteúdos relevantes, já que é nessa hora que o estranho pode se converter para visitante regular.

2- Conversão: essa é a hora de converter o máximo de visitantes em leads obtendo reais chances de venda. Nessa etapa, as formas de conversão podem acontecer por meio de formulários, landing pages e call to actions.

3 – Venda: nessa etapa já é possível identificar quais são os leads qualificados e que estão prestes a entrar no processo de compra. Para isso, podem ser utilizados como forma de relacionamento e comunicação com o cliente o email marketing, CRM e inbound sales.

4 – Encanto: depois que a venda é feita, a relação com o cliente precisa continuar. Portanto, assim começa a fase do “encantamento” com o objetivo de criar uma relação duradoura e de fidelização com o cliente. Nessa etapa, entram em cena ações como pesquisas de satisfação, monitoramento e depoimentos.

Para que o Inbound Marketing dê resultados positivos, é preciso que as ações aplicadas sejam sempre analisadas com a finalidade de identificar o que está dando certo e o que precisa ser melhorado.

A melhor forma de obter esses resultados é através de ferramentas de Web Analytics como:

Por que o Inbound é o caminho para o futuro do marketing?

O comportamento dos consumidores está em constante mudança e compreender isso é fundamental para aplicar as estratégias que envolvem o Inbound Marketing.

As pessoas mais do que nunca estão escolhendo o que querem ver de acordo com suas preferências, e isso significa que não é você que vai até ela, e sim ela que vem até você. E para ter essa comunicação direta com seu potencial cliente é preciso conhecê-lo e atraí-lo para a sua marca de maneira planejada.

Por isso, a importância do marketing de conteúdo e mapeamento de público-alvo. Ao saber exatamente quais são as dúvidas do seu público e o que ele está procurando, é possível criar conteúdos específicos com o objetivo de atrair e encantar o visitante, convertendo-o em lead e futuro cliente.

Tendo tudo isso em vista, deu pra notar que a principal característica do Inbound é a possibilidade de resultados certeiros e orgânicos, certo?

Justamente por isso as empresas estão preferindo o investimento no Inbound, do que no Outbound, onde não há delimitação de público e a comunicação passiva pode acabar gerando efeito contrário, tornando o público aversivo à aquela publicidade.

Um exemplo disso? Pense em uma panfletagem onde a maioria das pessoas nem vão se quer olhar o anúncio. E para onde foi aquele investimento? Literalmente para o lixo!

Outra situação típica do Outbound são as famosas ligações de telemarketing oferecendo serviços, além de ser chato para quem tá recebendo, sua marca pode acabar ficando com má fama, e vamos combinar que ninguém quer isso.

Mas o objetivo desse artigo não é dizer que o Outbound é ruim e que você deve parar de investir nele, pelo contrário. Dá muito bem para conciliar as duas estratégias e obter resultados positivos das duas. Basta saber quais são as ferramentas certas de cada uma.

Benefícios do Inbound

Uma coisa é certa, se a sua empresa ainda não faz uso das estratégias do que é o Inbound, você pode estar perdendo vendas e um relacionamento duradouro com seus clientes.

Entre os benefícios do uso do Inbound Marketing podemos citar:

  • Baixo custo: não é necessário muito investimento já que a comunicação é feita através dos próprios canais.
  • Engajamento: é possível que o público engaje com o seu conteúdo. Seja curtindo, compartilhando e até mesmo comprando a ideia de um posicionamento, por exemplo.
  • Maior aproximação com os clientes: através do seu conteúdo é possível ir conquistando o cliente pouco a pouco deixando ele mais seguro para o fechamento da compra.
  • Acompanhamento dos dados: através de ferramentas de análise, é possível ter um acompanhamento dos resultados que os conteúdos estão trazendo.
  • Aumento do ROI: como o investimento é menor, o Retorno sobre Investimento acaba sendo maior.

As estratégias mais usadas no Inbound Marketing em 2022

Reunião empresarial de planejamento de estratégias com computadores, métricas e papéis.

O tempo muda muito, mas a metodologia inbound permanece constante na sua principal filosofia: atrair clientes e fechar vendas.

O que muda mesmo são as formas com que isso é feito. Conforme as tecnologias vão avançando, tudo vai se transformando – na maioria das vezes, para melhor.

Separamos aqui as principais estratégias de inboundo marketing + algumas ferramentas pra você conhecer. Olha só:

Blog

O marketing de conteúdo é uma estratégia do Inbound Marketing. Lembre-se: Inbound é a metodologia! E o blog é uma das formas mais acertadas de se trabalhar com o marketing de conteúdo.

Existem uma infinidade de plataformas de blog que permitam que você crie sua página e comece a postar seu conteúdo, entre as opções mais usadas você tem:

Nós usamos o WordPress, e a maioria dos blogs é construída também pelo WordPress. Ele é muito versátil, é bem amigável para SEO, tem inúmeros plugins para customização e requer pouco conhecimento em código para implantar seu blog.

Blogs são conteúdo puro, e em uma estratégia de inbound, servem para marcar a presença da sua marca onde mais importa: no Google.

Pense só. Você trabalha com uma loja de gravatas e vende para todo o Brasil. Quando uma pessoa digita “gravatas online”, você quer aparecer no Google, não quer?

Boa sorte. Essa é a primeira página do Google hoje para esse termo:

print do google pesquisa de palavra-chave

O cenário é bastante concorrido. E para se posicionar aí, você precisa de um site impecável em relação a conteúdo, autoridade na área e usabilidade.

Esse é um investimento que você naturalmente vai precisar fazer ao criar um site. Agora pense só: quantas outras palavras chave existem sobre gravatas? O que mais as pessoas perguntam?

Um blog trabalha exatamente isso. Tudo o que alguém pesquisar por gravatas, você vai lá e responde. Isso aumenta o tráfego do seu site, e claro, também as vendas. Um exemplo:

fluxo de leads no RD

Esse é um print desse mês (Maio de 2020). Com nosso blog, publicando conteúdo evergreen como esse que você está lendo, trouxemos mais de 7 mil visitantes e geramos 369 leads.

No total, o site teve mais de 10 mil visitas. E 70% delas vieram do blog. Incrível, né?

Dentro dos textos mais lidos (que conseguimos ver através do Google Analytics), incluímos iscas de conversão – materiais ricos como e-books e whitepapers – que geram leads. Estamos chegando a quase 400 leads por mês.

Imagina o que você pode fazer com 400 pessoas interessadas no seu conteúdo e deixando o e-mail delas pra você enviar promoções?

Já já falamos sobre isso. Agora, mais sobre e-books e materiais ricos:

E-books

Uma ótima opção para complementar o conteúdo produzido em um blog de forma completa e extensa é o oferecimento de e-books. Eles são ofertados de maneira gratuita, geralmente no seu blog, canal do Youtube etc.

A estratégia do e-book é a de conversão dos visitantes em leads. O blog é uma estratégia de topo de funil, que não fala de vendas e trata com o grande público.

Quando você coloca uma chamada para um e-book no seu site, você abre a oportunidade de conversar com seu público através das informações que você pede para baixar o material.

Alguns exemplos. Aqui na Cubo, temos uma variedade de e-books disponíveis para download gratuito e você pode ter acesso a todos deles através desse link.

página de ebooks da Cubo
página de ebooks da cubo

Clicando em qualquer um desses e-books, você vai se deparar com uma página como essa:

Nessa página – uma landing page – o visitante vai se transformar em lead assim que coloca as informações que você pede no formulário.

Essas informações dependem da sua estratégia. Elas podem ser simples, como só um e-mail e nome da empresa, até mais complexas – telefone, cargo, quantas pessoas trabalham na empresa e detalhes mais específicos.

O material rico é a isca do inbound marketing, e ele é fundamental para transformar tráfego orgânico em leads.

E depois, fazer o que com os leads? Veja agora:

E-mail marketing

O email marketing é uma opção muito usada em Inbound pela sua possibilidade de ter uma proximidade maior com o cliente. Por meio desses emails é possível divulgar ofertas, promoções, novidades ou simplesmente abrir uma conversa bacana.

As ferramentas de automação de e-mail marketing mais indicadas são:

O e-mail marketing é o passo natural depois da conversão do visitante em lead. Normalmente, através de ferramentas específicas (CRMs e plataformas de marketing), é possível criar réguas de comunicação automatizada para cada nova conversão.

Lembra que você tem um site de gravatas online, né? Imagina que o Sr. Maurício leu um blog sobre como dar nó em todos os tipos de gravata e baixou um material falando sobre etiqueta em coquetéis corporativos. Boa, Sr. Maurício!

Com uma régua automatizada, assim que o Sr. Maurício virou lead, ele já vai receber e-mails voltados para transformá-lo em um comprador na sua loja. Sem você precisar fazer nada além de acompanhar as métricas.

Aqui na Cubo, todo lead naturalmente já cai no fluxo da nossa newsletter semanal:

Newsletter da Cubo Amarelo

Newsletters não estão interessadas em vender um produto. Elas funcionam como atualizações periódicas relevantes para o seu público. É uma estratégia de brand awareness – seu cliente em potencial pediu por esse conteúdo e você entrega sempre o melhor que pode.

Mas uma régua de conteúdo vai muito além disso. Você define exatamente que tipo de material o lead vai receber e quando, fazendo com que ele percorra todo o funil de vendas até sair em comprador.

“Ah, mas não vai demorar pro visitante comprar?” – em alguns casos sim, em outros não. Tudo depende.

Mas o interessante é que a estratégia de e-mail é feita em conjunto com a geração de leads. Então, você sempre vai ter pessoas em várias fases da jornada de compra. Algumas já fechando, outras chegando agora. Assim, seus números se mantém estáveis.

E lembre-se: uma boa estratégia de e-mail marketing automatizado requer principalmente o acompanhamento. Você só trabalha criando materiais algumas vezes no ano, e o resto do tempo você só acompanha as vendas crescendo.

As redes sociais e o Inbound Marketing

Você vai ouvir de muita gente que redes sociais não trazem resultados. Quem está falando isso ainda está lá em 2010.

A gente sabe porque, lá em 2010, a gente até falava isso também. Redes sociais, naquela época, eram muito mais pessoais. E o trabalho sendo feito naquela época era muito mais de branding do que competitivo de alguma forma.

Hoje em dia não é mais por aí. Muita coisa mudou, mas muita coisa mesmo. As marcas já estão nas redes sociais, estão patrocinando influencers, uma loucura.

Mas onde é que entra a sua marca aí? Simples: na produção de conteúdo do mesmo jeito do que blogs e e-books.

Claro que não do mesmo jeito né – há uma diferença no resultado final. Mas pense: você cria blogs para aparecer no Google. Criando boas campanhas em redes sociais, você cria um tráfego por lá, e pode trabalhá-lo do mesmo jeito que o tráfego no seu site.

Veja alguns exemplos para algumas redes sociais:

  • Instagram e Facebook – é possível criar uma boa base de seguidores fiéis, que podem nunca ter lido um único texto ou outro tipo de material no seu blog, e converter esses seguidores em leads. Você também pode levá-los para o seu blog e convertê-los lá. Ou trabalhar um funil de vendas específico para seguidores e fechar a venda direto pelo Insta. As possibilidades são infinitas.
  • Twitter – muito difícil vender pelo Twitter, até porque ninguém está lá pra comprar nada. Mas com uma boa estratégia de divulgação de conteúdo aumenta o tráfego no seu site como um todo principalmente pela identificação da marca pelo grande público.
  • Youtube – aproveite seus blogs e grave vídeos para o YouTube com eles. O YouTube é um universo à parte, e serve para te ajudar a converter visitantes em leads através daqueles materiais ricos. Ele é muito similar ao blog nesse sentido.
Tela de computador mostrando o YouTube

Agora que você já sabe o que é Inbound Marketing e porque essas estratégias vêm sendo tão usadas por diversas empresas, é hora de não perder mais tempo e começar a entrar em ação agora mesmo, caso ainda esteja de fora.

E para isso, uma agência pode ser ideal para te auxiliar e ajudar a alcançar os resultados esperados. Baixe agora nosso e-book: agência ter ou não ter e saiba se está na hora de contratar uma!

Abraços!

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

cuboamarelo

Você provavelmente já ouviu falar em Inbound Marketing e também em Marketing de Conteúdo, mas você sabe a …

cuboamarelo

O algoritmo de busca do Google é uma das ferramentas tecnológicas mais influentes já criadas no mundo. Estima-se …

cuboamarelo

Hoje vamos falar para você as vantagens da utilização dessa técnica que não para de crescer no mercado

Inscreva-se no Blog

Quer receber nossos conteúdos por e-mail sempre que tiver novidades? Assina aí a nossa newsletter!